parceiros:







info@fotoadrenalina.com | +351.916 222 009





programa
condições e custos
reserva
imprimir
  21 fevereiro a 1 março

A nossa proposta

Mergulhamos em 5 mil anos de História. Ao longo do Nilo, sangue vital do árido Egipto, as Pirâmides misteriosas do Planalto de Gizé, os túmulos sagrados adormecidos debaixo de dunas de areia, os templos faraónicos majestosos, os hieróglifos cativantes e o frenesim do Cairo, estimulam o explorador em cada um de nós.

Não menos impressionante será todo o percurso feito em barco tradicional Dahabiya pelo Nilo. Passaremos pelo Vale dos Reis em Luxor, onde o túmulo de Tutankhamon foi desenterrado, até Assuão, onde apreciamos e fotografamos de perto as comunidades locais, a fauna e flora que compõem a vida ao longo das margens do rio. Caminhamos por vestígios dos entrepostos de comércio romano. Atravessamos o Lago Nasser rumo à grandiosidade de Abu Simbel, legada por Ramsés II.

Citando Heródoto, séc. V a.c “O Egito tem mais maravilhas do que qualquer outro país do mundo e deu origem às construções que mais desafiam a lógica do que qualquer outro lugar.”


Spots fotográficos

. Cidade do Cairo

. Pirâmides de Gizé e a Esfinge

. Luxor e o Vale dos Reis

. Templo de Luxor, Complexo de Karnak e o templo de Hashepsut

. Descer o Nilo durante 3 dias num veleiro tradicional Dahabiya

. Templo de Edfu

. Assuão

. Abu Simbel

. Bazar Khan al-Khalili


Técnica Fotográfica abordada

Fotografia de natureza (fauna, flora), paisagem urbana, fotografia de rua, e retrato.


Material fotográfico aconselhado

Tratandose de uma experiência fotográfica, até um simples telemóvel poderá ser utilizado para registar as suas imagens. Recomendase a utilização de uma câmara reflex, objetiva grande angular e teleobjetiva. Baterias adicionais são outro elemento a ter em conta. O tripé é sempre opcional.  


Destinatários

Esta experiência fotográfica destina-se a todos que gostam de fazer fotografia e viajar. O conhecimento fotográfico e o tipo de câmara que utiliza não são importantes, preferimos valorizar o olhar de cada um sobre o destino e que se interessem pela natureza e pelo enriquecimento cultural.


faixa_programa2020.png


Do 1º ao 9º dia:

Voo Lisboa - Cairo

Se os habitantes do Cairo a designam por Um ad-Dunya (Mãe do Mundo), não é por acaso, são 20 milhões de pessoas a viverem em simultâneo nesse ponto do mapa. Da cidade mais populosa de África e uma das maiores do mundo, emanam pó, caos, mas sobretudo essências de grandiosidade e um dinamismo contagiante. Quase 10 milhões de pessoas, vários milhares de anos de história e influências culturais de África, Ásia e Europa juntam-se nas margens do Nilo. O chamamento envolvente do muezzin ecoa dos seus minaretes, em sinfonia com as buzinas de carros, enquanto carroças puxadas por burros precipitam-se por ruas empoeiradas entre colossais monumentos do califado Fatímida e relíquias da época próspera dos mamelucos. É difícil não se deixar envolver pela atmosfera exuberante do Cairo. A metrópole recebe-nos, mágica e dinâmica, numa aventura épica, uma viagem no tempo.


Começamos por dedicar algum tempo para explorar e fotografar as três grandes pirâmides do Egipto no planalto de Gizé, Quéops, Quéfren e Miquerinos. Opcionalmente podemos visitar o interior da pirâmide de Quéops. Paragem obrigatória para fotografar a Esfinge, em árabe, Abu al-Hol, que significa “pai do terror”. Na parte da tarde entramos numa máquina do tempo e voltamos algumas centenas de anos atrás para descobrir o Cairo Islâmico cheio de monumentos magníficos e um ambiente medieval ímpar.

Ao final do dia ou no dia seguinte, dependendo dos horários seguimos até ao aeroporto onde um voo interno nos leva até Luxor.

Aguarda-nos uma experiência fotográfica intensa ao explorar a margem ocidental onde se localiza o Templo de Hashepsut, os Colossos de Memnon e o Vale dos Reis.


No segundo dia exploramos a margem oriental, onde se inclui o templo de Karnak, um enorme complexo de edifícios maravilhosos, testemunho da grande prosperidade comercial e artística da capital do antigo Egipto: Tebas.

Na parte da tarde seguimos para sul, para visitar o templo favorito do nosso líder, muitas vezes negligenciado por turistas é um dos templos mais surpreendentes de todo o Egipto. Deixamos como surpresa. Terminamos o dia no templo de Luxor, uma obra-prima completada pelo rei Ramsés II.


Para os mais madrugadores e de forma opcional podemos sobrevoar toda esta área com uma vista privilegiada de balão de ar quente, de forma a apanhar os primeiros raios de luz e a vista incrível sobre toda esta área que acabámos de visitar durante os dois dias.

Segue-se uma passagem pela espetacularidade do rio Nilo, até chegarmos a Esna onde uma Dahabiya nos aguarda. Podíamos descer o Nilo numa simples feluca ou num enorme e impessoal cruzeiro, mas decidimos optar pela forma mais romântica e luxuosa, permitindo ao mesmo tempo parar em locais que os cruzeiros não conseguem, mergulhando calmamente na vida do rio. Como diz um antigo provérbio egípcio “aquele que viaja no Nilo deve ter velas feitas de paciência”.


Durante os próximos 3 dias teremos oportunidade de apreciar e fotografar a vida fascinante ao longo do rio Nilo. Segue-se a ilha de El Hegz, onde somos recebidos por uma família local. Alcançamos a aldeia de El Kab e exploramos o Templo de Edfu.

Visita à ilha-aldeia de Bisaw. Onde se proporcionará algum tempo para conhecer pessoas locais e aprender um pouco sobre o seu estilo de vida numa aldeia remota no Egipto. Visita à antiga pedreira e santuário de El Selsela. Velejamos rumo à pinturesca Assuão.

Contemplamos os monumentais túmulos de Ramsés II em Abu Simbel uma verdadeira maravilha de arquitetura antiga situada num local rodeado pelo lago Nasser.


Regressamos a Assuão para presenciar a imponência do Obelisco inacabado.

Depois de um passeio pelas margens do rio, despedimo-nos de Assuão de comboio, rumo ao Cairo.

Retomamos a nossa experiência fotográfica a explorar o centro histórico do Cairo.

Visitamos o Museu Egípcio, um dos mais belos e interessantes do mundo e a Citadela de Saladino.

Terminamos o dia a tentar não nos perdermos na imensidão que é o Bazar Khan Khalili. Construído em 1382 é o típico bazar oriental das histórias, onde objetos de ouro, prata, bronze e cobre brilham no interior das lojas e os sacos de especiarias enchem o ar com os seus aromas exóticos. No labirinto de ruas estreitas, cobertas por lonas, acumulam-se lojas que vendem quase tudo. As artes tradicionais egípcias como a tinturaria, a escultura e a costura continuam a praticar-se aqui como se fazia há séculos.


10º dia:

Voo do Cairo para Portugal



programa_egito1.jpg


programa_egito2.jpg


© 2009 Fotoadrenalina | optimizado para 1024 x 768 | Fotoadrenalina é uma marca registada