parceiros:







info@fotoadrenalina.com | +351.916 222 009 | +351.916 222 029





programa
condições e custos
reserva
imprimir
  19 a 31 agosto

A nossa proposta

Quando o Irão se torna destino e não verbo conjugado no futuro do indicativo, é pelo fascínio que ele provoca que se decide roer caminho até lá! Por ser um país embriagado em costumes alimentados pela sua língua - o farsi, pela sua história, por aquela religião - o Zoroastrismo, pelo seu povo, e até pela sua polícia, a dos costumes. Durante 13 dias vestimos essa cultura com vontade de saber o que é ter aquela visão, esta audição, muito paladar, algum tato e um olfato persa, no masculino e no feminino. Fazemos as malas do estrito necessário, dobrando a novidade e o inesperado para deixar espaço para o que trouxermos de lá.

 

Spots fotográficos

. Teerão, o sul tradicional vs o norte abastado
. Kashan, casas senhoriais
. Vida rural em Abyaneh
. Esfahan e o bazaar medieval, praça, mesquitas, palácios e pontes
. Vida rural no oásis de Garmeh
. Deserto Dasht Kavir e o lago do sal
. Yazd, centro histórico
. Templo zoroastra e torres de silêncio
. Persépolis e Pasargadae
. Jardins persas
. Cidade de Shiraze a Mesquita Nasir al Molk

 

Destinatários
Tratando‐se de uma experiência fotográfica, até um simples telemóvel poderá ser utilizado para registar as suas imagens. De qualquer modo, recomenda‐se a utilização de uma câmara reflex, objectiva grande angular e teleobjectiva. Como material opcional, considere ainda a utilização de um tripé, cabo disparador e filtros de densidade neutra.


Técnica fotográfica abordada
Paisagem Natural e Fotografia de rua.

Material fotográfico aconselhado
Esta experiência fotográfica destina-se a todos que gostam de fazer fotografia e viajar. O conhecimento fotográfico e o tipo de câmara que utiliza não são importantes, preferimos valorizar o olhar de cada um sobre o destino e que se interessem pelo enriquecimento cultural.

programa.jpg

 

Do 1º ao 13º dia:


1.    Portugal – Teerão

Voo para Teerão

 

2.    Teerão

Começamos a experiência fotográfica com o ritmo frenético da zona sul de Teerão.

Almoçamos num dos mais antigos e surpreendentes cafés de Teerão, ponto de encontro de intelectuais, jornalistas e artistas até à revolução. Um dos sítios ideais para desfrutar de um ótimo khoresht caseiro.

Viajamos no tempo no histórico Café Naderi, regresso ao Irão dos anos 50, a caminho do museu das joias, incrível coleção dos tempos safávida, na altura em que os Xás percorriam a Europa, a Índia e as Terras do Império Otomano em busca de tesouros de forma a decorar a capital, Esfahan.

Aproveitamos o resto da tarde para visitar um parque surpreendente e muito fotogénico no norte de Teerão, a zona chic e abastada da cidade, autêntico contraste com a zona sul, e com uma vista incrível para as montanhas de Alborz.

 

3.    Teerão

Dedicamos o início da manhã ao palácio Golestan, antigo coração de Teerão, epicentro dos excessos e glórias, onde testemunhamos a opulência do reino dos qajars.

De seguida seguimos para o maior mercado do país, um fascinante espaço, digno de fotografar, com trocas comerciais há mais de mil anos. Vamos descobrir a sua energia vibrante, o regatear frequente e os seus 10km cobertos de lojas e comerciantes. Almoçamos num dos locais mais típicos do sul de Teerão.

Durante a tarde, iniciamos a viagem rumo a Kashan, uma verdadeira pérola persa, muitas vezes injustamente negligenciada pelos roteiros turísticos.


4.    Kashan e Abyaneh

Percorremos de manhã o centro histórico a caminho das mansões senhoriais do século XIX: a magnífica Tabatabei, a Borujerdi e o hammam e-sultan mir ahmad (autêntico banho público iraniano, com cerca de 500 anos e no seu topo, uma panorâmica incrível para os terraços das casas antigas, minaretes e badgirs (torres de vento).

No regresso, cruzamos ainda o magnífico bazar histórico, um dos mais fascinantes do Irão. O ponto alto será a chegada ao caravanserai que deliciará o apetite de qualquer fotógrafo. Se houver disponibilidade de uma família persa, tiramos partido de uma experiência gastronómica e musical única em sua casa.

 

5.    Abyaneh e Esfahan

Na parte da manhã, aproveitamos para visitar o epítome dos jardins persas – Património Mundial da Unesco, o Bagh-e Fin. Seguimos posteriormente para uma das mais belas aldeias históricas, Abyaneh. Situada num pitoresco vale, fotografamos as suas ruelas, cantos e recantos de cor avermelhada em adobe e madeira cruzando-nos com a sua gente caricata e castiça, a caminho de Esfahan.

Esfahan é sem sombras de dúvidas o apogeu de uma viagem fotográfica ao Irão. É na praça Nasqh-e Jahan que nos apercebemos do significado da célebre frase “Esfahan é metade do mundo”. Vamos caminhar em direção à mesquita Masjed-e- Jameh por entre arcos, e longos túneis banhados por raios de luz saídos de pequenas cúpulas. A mesquita revela uma geometria elegante própria dos Seljuques ao detalhe barroco safávida. Com 20’000 metros quadrados, esta é a maior mesquita no Irão.

Não há melhor sítio para nos perdermos que no Bazar-e Bozorg, o mercado mais histórico e fascinante do Irão.

À noite após o jantar, iremos absorver a atmosfera social e familiar da praça Nasqh-e Jahan, ponto de encontro de muitas famílias iranianas.

 

6.    Esfahan

Visitamos as mesquitas Masjed-e Shah, Masjed-e Sheikh Lotfollah, perdição de qualquer fotógrafo e o palácio Kakh-e Ali Qapu. Dedicamos a tarde a passear entre pontes junto ao rio Zayandeh pela grandiosa ponte dos 33 arcos onde uma casa de chá nos convidará a disfrutar do momento.

À noite iremos juntar-nos às dezenas de famílias iranianas que se deslocam para a praça para um picnic! E se ainda restar algum espaço, espera-nos satisfazer a gulosice com uma sobremesa típica Fereni Hafez, tentação adocicada de qualquer iraniano.

 

7.    Esfahan

Na parte da manhã visitamos o fantástico palácio Chehel Sotun. De seguida, iremos explorar o bairro arménio Jolfa. Aqui, instalou-se uma comunidade cristã, o que origina um ambiente peculiar diferenciador da restante cidade. Visitamos a catedral Vank no regresso.

Esfahan é também sinónimo de inigualável artesanato. Além da tapeçaria onde poderemos ficar a conhecer um pouco da sua história com maior detalhe, iremos também conhecer o trabalho do famoso miniaturista Hossein Fallahi.

 

8.    Esfahan e Garmeh

Despedimo-nos de Esfahan no final da manhã rumo a Garmeh no coração do deserto de Dasht-e Kavir, um dos dois desertos que dominam a paisagem no leste do Irão. Somos recebidos pelo excelente anfitrião artista e músico Maziar Davour. Ele e a sua família revitalizaram esta pequena aldeia oásis.

 

9.    Garmeh

De manhã, seguimos para um passeio pela aldeia, sítio sereno longe do reboliço das grandes cidades. É de longe o ponto mais pequeno e remoto da nossa viagem pelo que a ideia será retirarem o máximo partido disso. Aqui vivencia-se a paz de uma aldeia quase inabitada.

O resto do dia fica a critério de cada um. No final da manhã, existe a possibilidade de visitar um lago salgado. De tarde, passear de Jeep pelo deserto até Mesr ou viajar até dunas mais distantes, ou simplesmente para quem apenas queira um dia mais calmo, um mais completo passeio pela aldeia e vivenciar mais de perto o modo de vida dos seus habitantes.

À noite será o momento ideal para apreciar o som da música de Maziar ou do do seu irmão, num café recentemente inaugurado na aldeia, uma delícia de espaço que facilmente adiará a vontade de ir descansar cedo.

 

10. Yazd

Antigo entreposto comercial de paragem na Rota da Seda, Yazd é o sítio perfeito para vaguearmos e deixarmo-nos levar pelas passagens e ruelas que compõem este centro histórico único de adobe e torres de vento (badgirs), pátios e casas senhoriais. Segundo a UNESCO, é uma das cidades mais antigas do mundo e seguramente outro ponto alto para a fotografia.

Visitamos o Museu da água que nos elucidará a forma engenhosa como a água era (e em muitos sítios ainda é) transportada das montanhas para as inúmeras vilas e cidades do deserto no Irão.

Impossível não parar numa das pastelarias mais antigas com doces típicos desta região. Iremos abastecer-nos para os próximos dias. 

No final do dia teremos a oportunidade de vivenciar uma sessão de Zurkhaneh, um misto entre desporto de força e uma experiência mística espiritual, onde temos permissão para fotografar.

Pernoitamos num dos vários khan-e sonnati, maravilhosas casas tradicionais recuperadas para hostels. De dia exploramos a cidade histórica, à noite sentamo-nos em takhts e deliciamo-nos nestes pátios jantando e bebendo chá tal como os iranianos o fazem há séculos.

 

11. Yazd

De manhã passeamos calmamente pelo antigo centro histórico entre ruelas e muros altos construídos com adobe. Deslocamo-nos ao Bagh-e Dolat Abad, antiga residência de um regente persa, integrante da lista de jardins da UNESCO do século XVIII. Os seus interiores resultam de um trabalho fantástico de madeira e vitrais únicos. É nestes jardins que se encontra a mais imponente torre de vento (badgir).

Dedicamos a tarde à descoberta da religião zoroastra. Visitamos o Templo do Fogo seguidamente das Torres de silêncio onde segundo rituais fúnebres os corpos se decompunham expostos ao ar. Aproveitamos o momento e local no topo de um monte para fotografar o pôr-do-sol e uma vista de 360 graus sobre Yazd.

 

12. Yazd - Persepolis – Nasqh Rostam - Shiraz

Despedimo-nos de Yazd rumo a Pasargadae, antiga cidade de Cyrus, primeiro rei Persa. Seguimos para a desejada Persepolis, apogeu e trágico fim do antigo Império Aqueménida. A entrada monumental, os grandiosos portões, os relevos requintados não deixam grande dúvida sobre a importância deste espaço construído por Darius o Grande em 518 AC, hoje em dia património mundial da UNESCO.

Não menos impressionante e que visitamos posteriormente é Nasqh Rostam e Rajab. No topo de um penhasco avistamos quatro túmulos trabalhados na rocha, de Darius I, II, Xerxes I e Anta Xerxes, bem como alguns frescos extraordinários, aludindo a cerimónias de realeza e vitórias de guerra. Com uma luz de final de tarde, ou gracejados por algumas nuvens podemos ter a oportunidade de obter neste espaço algumas das fotografias mais memoráveis da viagem.

 

13. Shiraz

Dedicamos a manhã a explorar a zona histórica da cidade, nomeadamente a citadela, os vários bazares que compõem o antigo distrito de comércio. O mais aclamado é o bazar de e-Vakil, além da sua arquitetura fantástica é composto por inúmeras lojas de grande qualidade, incluindo souvenirs. Passeamos pelos seguintes bazares, deixando-nos contagiar pelo ambiente, parando e visitando alguns caravanserais e casas de chá.

Na parte da tarde visitamos o jardim persa Bagh Eram e aproveitamos ainda a desculpa da proximidade para uma pequena paragem na casa de gelados mais famosa da cidade. Finalizamos o dia com a visita ao jardim de Hafez, célebre poeta de Shiraz. Testemunharemos um sítio de culto e de idolatria de peregrinos iranianos. Diz-se que qualquer iraniano sabe recitar de cor um poema de Hafez, podemos confirmá-lo.

 

14. Shiraz

Dependendo da hora do voo, de manhã exploramos a mesquita Nasir Al-Molk, reconhecida pela sua elegância, os seus vitrais inesquecíveis e um belíssimo jogo de luz sendo uma das mesquitas mais fotografadas do Irão. É de manhã que teremos a melhor luz de forma a conseguir tirar o melhor partido das suas cores.

Para quem quiser reservaremos tempo para compras de souvenirs no bazar antes do regresso para Portugal.

 


programa_irao1.jpg


programa_irao2.jpg


programa_irao3.jpg


programa_irao4.jpg


programa_irao5.jpg


programa_irao6.jpg


programa_irao7.jpg


programa_irao8.jpg


programa_irao9.jpg


programa_irao10.jpg





© 2009 Fotoadrenalina | optimizado para 1024 x 768 | Fotoadrenalina é uma marca registada