parceiros:







info@fotoadrenalina.com | +351.916 222 009





programa
condições e custos
reserva
imprimir
  18 outubro a 4 novembro - últimos lugares!

A nossa proposta

A experiência fotográfica aos 4 países da Indochina tem como ponto conciliador o mítico Rio Mekong e toda a fantasia que as suas lendas, histórias e paisagens desperta em cada um. Uma região plena de exotismo e memória, onde o moderno vive em plena harmonia com a tradição e que irá tocar em cada um dos cinco sentidos. Uma oportunidade para conhecer locais de cortar a respiração, gente de sorriso simples e atmosferas dignas de filmes.


Spots fotográficos

Bangkok
Vamos fazer os impossíveis para passar por todos os pontos imperdíveis da capital tailandesa. E não são poucos: o Grande Palácio, o Templo do Buda Esmeralda, a vista para o Wat Arun, a inebriante Khao San Road pela noite, uma massagem tailandesa, a comida bem temperada, o Songkran (festival da água) e, claro, uma incontornável viagem de tuk tuk.

Siem Reap
Haverá poucos lugares no mundo onde o acordar bem cedo valha tanto a pena como em Siem Reap. A imagem do nascer do sol nas costas de Angkor Wat são do mais bonito que se poderá algum dia presenciar, mas a visita a toda a zona dos templos abandonados fará as delícias do nosso imaginário.

Hoi An
Uma das coqueluches do Vietnam, Hoi An é uma cidade muito pequena que tem o mérito de trazer a tranquilidade necessária entre as duas principais metrópoles do país. Um destino de praia para descontrair e um final de tarde/início de noite que cativa e deixa todos de sorriso no rosto. Um paraíso de candeeiros coloridos, de pequenas luzes que iluminam cada canto, cada rua da cidade.

Hanoi
Vamos ver e viver na pele a loucura do trânsito na capital do Vietnam com as milhares de motas a ensurdecer a cidade. O comércio distribuído conforme as ruas, os cheiros e os sabores são as características que os sentidos absorverão imediatamente. Mas fugiremos, também, para um cruzeiro numa das novas Sete Maravilhas do Mundo: Halong Bay, as suas ilhas desertas e aldeias flutuantes.

Luang Prabang
Em Luang Prabang, no norte do Laos, o dia começa cedo com a Ronda das Almas, ritual em que os monges recolhem os alimentos para a sua única refeição, oferta das mulheres que ficam nos passeios da cidade, Património da Humanidade. Mas a vida aqui é mais que isso: é um pôr do sol num passeio de barco pelo Mekong e uma caminhada pelo verde das montanhas, que culmina num mergulho junto à imponente cascata de Kuang Si.

Chiang Mai
Uma pequena cidade em crescimento no norte da Tailândia, Chiang Mai já alcançou o estatuto de passagem obrigatória. Os templos levam-nos ao passado e o famoso e alegre Night Market mostra que é mais do que um espaço de comércio, cheio de animação, cores e sabores. É ainda em Chiang Mai que podemos visitar o verde e fresco Doi Inthanon, o ponto mais alto do país, todo ele coberto de lendas.


Técnica Fotográfica abordada

Paisagem natural, Paisagem urbana e Retrato.


Material fotográfico aconselhado

Tratando‐se de uma experiência fotográfica, até um simples telemóvel poderá ser utilizado para registar as suas imagens. De qualquer modo, recomenda‐se a utilização de uma câmara reflex, objectiva grande angular e teleobjectiva. Como material opcional, considere ainda a utilização de um tripé, cabo disparador e filtros de densidade neutra.


Destinatários
Esta experiência fotográfica destina-se a todos que gostam de fazer fotografia e viajar. O conhecimento fotográfico e o tipo de câmara que utiliza não são importantes, preferimos valorizar o olhar de cada um sobre o destino e que se interesse pela natureza e pelo enriquecimento cultural.

 


programa.jpg
 

dia:

Voo Portugal – Bangkok (Tailândia)

 

Do 2º ao 17º dia:

Com a chegada a Bangkok pela tarde, nem por isso tencionamos desperdiçar as maravilhas que o pôr do sol faz na capital tailandesa, embarcando logo num passeio pelo Rio Chao Phraya . Este é o melhor local para uma vista fotográfica para o Wat Arun, a imagem de marca do budismo na cidade.

 

No que toca a monumentos, Bangkok não faz por menos e apresenta-nos os riquíssimos pormenores do Grande Palácio ou do Templo do Buda Esmeralda e todos os edifícios circundantes, num recinto onde o olhar se vai perder entre dourados, personagens animalescas e toda a mitologia onde assenta a história tailandesa.

 

Chega a noite e a envolvência da cidade intensifica-se. Infelizmente, os cheiros não são fotografáveis, mas tudo o resto é, e muito! Khao San Road é um ponto imperdível na passagem por Bangkok: uma rua repleta de gente por todos os lados, as personagens mais extravagantes, bares animados, vendedores de roupa, insetos, comida e bugigangas, agentes de viagem e massagistas. Aqui, é importante ter a bateria da câmara carregada.

 

Não sairemos de Bangkok sem a obrigatória viagem nos típicos tuk-tuks, as pequenas motorizadas equipadas para transporte de passageiros e que enchem por completo as ruas da cidade. É este símbolo tailandês que nos vai levar ao maior Mercado das Flores da Tailândia pela noite.

 

 

De Bangkok, partimos no comboio noturno para o norte, para a pequena Chiang Mai, onde vamos encontrar mais templos que merecem a passagem e o famoso e alegre mercado Night Bazaar cheio de animação, cores e sabores, e onde se vende de tudo um pouco.

 

Na província de Chiang Mai, fica o verde e fresco Doi Inthanon, que, com os seus mais de 2500 metros, é o ponto mais alto do país. Todo o monte é coberto de lendas sobre o império tailandês e serve de habitat a dezenas de espécies diferentes de aves. A paisagem de montanhas verdes e nuvens brancas é recortada por dois templos que prestam tributo ao rei e à rainha do país.

 

A distinção de Património Mundial da Humanidade pela UNESCO é motivo mais do que suficiente para uma estadia mais prolongada em Luang Prabang, no norte do Laos. A tranquilidade aparente é pintada com uma animação própria de cidade pequena cheia de visitantes todos os dias. Pode comprová-lo com uma simples subida ao monte Phu Si, com vista para a vila e arredores.

 

De uma beleza natural impressionante, a paisagem envolvente fica-lhe ainda melhor: um pôr-do-sol num passeio de barco pelo Mekong, uma caminhada pelo verde das montanhas imensas e um mergulho junto à imponente cascata de Kuang Si são momentos que vai querer registar com a sua câmara fotográfica.

 

Do Laos, voamos para o sensorial Vietnam para conhecer a essência da sua fama mundial. Vamos ver e viver na pele a loucura do trânsito na capital – Hanoi – com as milhares de motas a ensurdecer a cidade. Um ótimo sítio para tirar longas exposições com a câmara e fazer “pannings”. O comércio distribuído conforme as ruas traz cheiros e sabores que só uma cultura tão rica pode oferecer. Tudo aqui, na Cidade do Dragão Crescente, é, por si, uma imagem a reter: as pessoas, os costumes, as habitações, as refeições na rua, o comércio.

 

Mas fugiremos, também, para um cruzeiro carregado de lendas e mitologia por mais um local designado património da Humanidade pela UNESCO: as mais de três mil ilhas de Halong Bay, capazes de tirar a respiração aos mais céticos. Serão três dias e duas noites longe da confusa Hanoi e perto de uma paisagem do mais absorvente que poderá encontrar no Vietnam com as montanhas e as grutas, mas também praias e autênticas aldeias flutuantes.

 

Uma das coqueluches do Vietnam, Hoi An é uma cidade muito pequena que tem o mérito de trazer a tranquilidade necessária entre as duas principais metrópoles do país. Um destino de praia para descontrair e um final de tarde/início de noite que cativa e deixa todos de sorriso no rosto.

 

Um paraíso de candeeiros coloridos, de pequenas luzes que iluminam cada canto, cada edifício, cada árvore, cada rua da cidade, num ambiente de harmonia graciosa. Aqui, é seguro experimentar alugar uma mota para viver a experiência vietnamita na pele, pois a volta à cidade é rápida e o trânsito não se compara ao da capital. Descontração é palavra de ordem.

 

O último destino desta viagem pela Indochina é o Cambodja. E garantimos: haverá poucos lugares no mundo onde o acordar bem cedo valha tanto a pena como em Siem Reap. A imagem do nascer do sol nas costas de Angkor Wat são do mais bonito que se poderá algum dia presenciar, mas a visita a toda a zona dos templos abandonados – Angkor Thom (se se imaginar no cenário do filme "Tom Raider", não é apenas ilusão sua: foi aqui que Angelina Jolie vestiu a pele de Lara Croft) - fará as delícias do nosso imaginário.

 

Toda a zona está imbuída de um espírito de culto e tradição que nos faz respirar o budismo e a história deixada pelo regime Khmer por onde quer que vamos. É importante estar atento aos rituais dos monges com que nos vamos cruzar pelo caminho.

 

Antes de apanharmos o voo de volta a Bangkok para completar o círculo e regressar a Portugal, espera-nos o mercado flutuante onde, diariamente, dezenas de pequenos barcos navegam pelo Rio Mekong para a venda de fruta, legumes ou cereais. Além do mercado, há toda uma vida que se desenrola nos canais do rio, entre casas, escolas e serviços. Um mundo à parte.

 

18º dia:

Voo de Bangkok para Portugal



programa_indochina1.jpg


programa_indochina2.jpg


programa_indochina3.jpg


programa_indochina4.jpg


programa_indochina5.jpg


programa_indochina6.jpg


programa_indochina7.jpg


programa_indochina8.jpg


programa_indochina9.jpg


programa_indochina10.jpg





© 2009 Fotoadrenalina | optimizado para 1024 x 768 | Fotoadrenalina é uma marca registada